• Sergio Arnosti Jr.

MUDANÇA DE PARADIGMAS NA GESTÃO AMBIENTAL E A PRODUÇÃO MAIS LIMPA

"Antes dos anos 70 existiu a fase de alienação, quando a Industrialização era acelerada e havia a aceitação da ideia de que os prejuízos ambientais devem ser assumidos pela sociedade, em favor do desenvolvimento econômico".


Não é possível falar de qualidade total, pensando somente na qualidade intrínseca do produto, sem considerar a qualidade ambiental.


A relação das empresas para com o meio ambiente tem mudado muito ao longo da história.


Antes dos anos 70 existiu a fase de alienação, quando a Industrialização era acelerada e havia a aceitação da ideia de que os prejuízos ambientais devem ser assumidos pela sociedade, em favor do desenvolvimento econômico.


Durante as décadas de 70 e 80 houve a fase de gestão ambiental passiva que teve como principais características os grandes acidentes ambientais em todo o mundo, as ações de remediação, o controle da poluição no final da linha (ponto de descarga), o surgimento das ONG’s, a preocupação das empresas em atender às exigências dos órgãos ambientais, os investimentos em sistemas de controle e pouca ou nenhuma visão de ganhos decorrentes da gestão ambiental.


A partir da década de 90 começa a gestão ambiental proativa. Começa a intensificação da mobilização das comunidades de forma organizada e reivindicativa, adesão das empresas a princípios estabelecidos por determinados grupos, com base no conceito de desenvolvimento sustentável, integração das questões ambientais à estratégia de negócio, gestão vista como um diferencial competitivo e um fator de melhoria organizacional e introdução da visão sistêmica às questões ambientais.


> Acesse artigo completo

> Página do Autor - Ambientalmente

Cursos envolvidos: Engenharia Ambiental e Engenharia Mecânica


ATENÇÃO: O conteúdo deste artigo é de inteira responsabilidade do autor, a instituição reproduz este conteúdo sem interferência ou participação.

Posts recentes

Ver tudo