top of page
  • Foto do escritorGustavo Ventura Pereira

ENTENDENDO A VIDA ÚTIL DAS RODOVIAS


Intervenção no pavimento pode garantir durabilidade e segurança do sistema


As rodovias ocupam papel de destaque no Brasil, pois são responsáveis por cerca de 65% da movimentação de cargas de todo o país, segundo o Ministério da Infraestrutura (MInfra). Fora o fato de o modal ser o principal meio utilizado pelos brasileiros. Os pontos indicam o quanto essas vias são fundamentais para o desenvolvimento socioeconômico, transportando pessoas, alimentos, remédios e uma série de insumos. Dados do Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas de São Paulo e Região (SETCESP), em 2020, confirmam que o segmento de transportes movimentou cerca de R$ 480 bilhões, correspondendo a 6,4% do Produto Interno Bruto (PIB). Foi por utilizar diariamente a Rodovia Deputado Laercio Corte (SP-147) – que liga os municípios de Piracicaba, Iracemápolis e Limeira – que o Eng. Civ. Gustavo Ventura Pereira, com orientação da professora, M.Sc. e Eng. Civ. Maria José Ayres Guidetti Zagatto, optou por analisar um caso concreto, em 2019, sobre a manutenção da infraestrutura da via.


Baseado no trajeto pessoal, o engenheiro desenvolveu o artigo científico ‘Realização de projeto de intervenção em rodovia de camada superficial flexível com exemplo prático’, uma análise, por meio de ensaios tecnológicos, que tem como objeto a concessionada SP-147. “As rodovias são importantes e sofrem com a carga excessiva, temperatura e contato com a água. Os pavimentos possuem suas patologias. O trabalho prevê a reabilitação desse ‘paciente’ - no caso, o pavimento - e ainda prescreve o acompanhamento, que é a manutenção preventiva para os próximos anos”, explica a professora.


Em atenção às normas vigentes do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), as intervenções analisadas são programadas, técnicas e efetuadas por profissionais da área tecnológica para economia de custos. “As manutenções são realizadas em pontos estratégicos, mapeadas pela engenharia. A partir de testes, identificam as necessidades e evitam gastos”, conta Pereira. No projeto prático analisado, a concessionária que administra o trecho da SP-147 utilizou de métodos de ensaios e acompanhamento técnico realizado no local previsto para execução das atividades levantadas, o que reduziu em R$ 4 milhões os custos com a via, segundo o engenheiro.


Além das vantagens tecnológicas e orçamentárias, o autor lembra da importância da segurança que a medida preditiva pode proporcionar. “As rodovias não são das concessionárias, são do município, do Brasil. Então, é importante que o trabalho seja bem-feito, pois vai influenciar no dia a dia dos usuários. Os engenheiros podem ajudar a garantir que as pessoas cheguem ao seu destino com segurança”.


A orientadora do projeto também destaca a presença dos profissionais da área tecnológica no gerenciamento e construção das rodovias, demanda que, segundo ela, tende aumentar. “Somente 12% são pavimentadas. Desse total, 80% estão na região Sudeste, ligando os principais polos industriais para o desenvolvimento. Futuramente precisaremos de mais pavimentos para a economia, e, consequentemente, de mais engenheiros”, finaliza Maria José.


Engenheiro Civil Gustavo Ventura Pereira

ex-aluno EEP


Para consultar o artigo: Realização de projeto de intervenção em rodovia de camada superficial flexível com exemplo prático. Acesse Biblioteca Digital da FUMEP , digite o nome do artigo na consulta e selecione o filtro "tipo de documento" > periódico.


Matéria publicada na revista CREA


Curso Envolvido: Engenharia Civil


O conteúdo deste artigo é de inteira responsabilidade do autor, a instituição reproduz este conteúdo sem interferência ou participação.

80 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page